F.C. Porto vs. S.L. Benfica - Noite de gala vista por um Portista.

Quase 50.000 pessoas assistiram a uma noite de gala do F.C. Porto, que se vestiu a rigor para construir um resultado tão dilatado, quanto improvável. O Dragão mandou, como é habitual, em casa e vergou o campeão tal e qual como tinha feito no jogo da supertaça, mostrando que a vitória nesse jogo não foi um acaso.


imagem retirada de www.maisfutebol.iol.pt

No clássico mais "quente" do futebol Português, o Benfica chegava, moralizado com as vitórias recentes, para tentar encurtar os 7 pontos de atraso para a equipa azul-e-branca, líder do campeonato.

Os dragões entraram para este jogo com a equipa habitual, exceptuando a alteração forçada pela lesão de Fernando, que viu o seu lugar ocupado pelo internacional Colombiano Freddy Guarin.

Já Jorge Jesus procedeu a diversas alterações para tentar controlar o jogo do Porto, especialmente no lado direito do ataque portista onde habitualmente "cai" Hulk. Jogou com Sidei no meio para poder ter David Luiz à esquerda, com Fábio Coentrão a jogar novamente no meio campo. Para além disso, jogou ainda com mais gente no meio campo, ao usar Salvio na direita (o Argentino chegou a estar em campo?) e Aimar no apoio a Kardec.

A aposta em David Luiz a lateral esquerdo, cedo se percebeu que tinha sido falhada.

imagem retirada de www.maisfutebol.iol.pt

Primeiro, aos 11 minutos, quando Hulk arranca em velocidade deixando o internacional Brasileiro pregado ao chão antes de assistir atrasado para Varela. 1-0 para o Porto, bem cedo no jogo, na primeira oportunidade de golo.

Mas a eficácia do ataque portista não ficaria por aqui. Aos 24 min, no 3º remate à baliza de Roberto, Falcão marca um golaço de calcanhar, a mostrar todo o seu instinto matador, após excelente trabalho de Belluschi, novamente sobre David Luiz.

O primeiro remate do Benfica surgiu aos 27 minutos, após jogada de Aimar, que rematou em zona frontal, mas fraco, para Helton defender.

Logo a seguir, passe comprido de Sapunaru e Belluschi novamente, a trabalhar sobre Sidnei deixando o brasileiro fora da jogada, assistindo para Falcao facturar o segundo. Duas assistências do Samurai, dois golos do Colombiano, que nunca tinha marcado ao Benfica.


3-0 para o Porto, 30 minutos de jogo, 4 remates à baliza. Parecia resolvido o clássico, bem cedo no jogo.

Até ao intervalo, nada mais a apontar. No recomeço, algumas alterações em ambas as equipas.

Jorge Jesus corrigia parcialmente algumas más apostas. Recuou Coentrão para defesa esquerdo, colocou Gaitán no jogo, mas continou com Saviola no banco, deixando Sálvio que passou sempre ao lado do jogo, em campo.

Do lado do Porto mudava-se a forma de jogar. Depois de uma primeira parte mais apostada em aproveitar as transições, na segunda parte o Porto voltou ao seu jogo de posse.

O Benfica melhorou ligeiramente com as alterações, mas mesmo assim não conseguia chegar com perigo à baliza de Helton.

Aos 58 minutos, houve mão na área Benfiquista, de Sálvio, mas parece-me que não é lance para penalty. O argentino tentou proteger a cara, apesar de ter movimentado os braços na direcção da bola. Na minha opinião Pedro Proença esteve bem.

Aos 59 minutos a primeira defesa apertada de Hélton, após um bom remate de David Luiz mas aos 65 minutos tudo se complicou para a equipa da Luz com a expulsão infantil de Luísão. Vermelho directo, bem mostrado, numa atitude descontrolada do capitão das águias.

A jogar contra 10, tudo ficou ainda mais fácil.

O Porto, com mais bola, ampliou naturalmente a vantagem.

Primeiro com Hulk, na conversão de um penalty (bem assinalado) de Fábio Coentrão sobre o mesmo e depois novamente o Incrível, num remate também ele incrível, a fechar as contas com 5-0. O Incrível, tal como Falcao, acabava de bisar na partida, nunca antes tendo marcado à equipa encarnada.

Pelo meio, foi perdoada uma expulsão a Maxi Pereira, que chutou a bola para a bancada já depois desta ter saido. Era o segundo amarelo e consequente expulsão.

Numa noite de sonho, a equipa azul-e-branca conseguiu um resultado que eu nunca teria previsto. Foi, de facto, uma exibição imponente, a mostrar o porquê de liderar o campeonato e de estar bem na Europa.

Mais do que o resultado, a conclusão que se tira é a enorme diferença de qualidade entre ambas as equipas, nesta altura.

O campeonato está longe de estar decidido, mas 10 pontos já são uma distância bem confortável.

Queria deixar duas notas em particular:

A primeira para Sapunaru. Muitas vezes mal amado no Porto, foi "reabilitado" por Villas-Boas e mostrou o porquê de ser um jogador de selecção. Secou todos os jogadores que apareceram no seu caminho. Jogo perfeito.
Não me arrependo de sempre ter dito que o considerava um jogador que ainda não tinha mostrado todo o seu potencial.

A segunda para o lançamento das bolas de golfe para o campo. A vergonha habitual de gente que não percebe que o futebol é apenas um jogo e que nem pensa no que está a fazer. Felizmente ninguém se magoou, mas é algo que não é difícil com o arremesso de tais objectos.

Lamentável, pois além de prejudicar o clube em termos pecuniários, só serve para denegrir a imagem dos seus adeptos.

Tenho pena que esta gente continue a entrar nos estádios.

Até breve!

4 comentários:

Antonio disse...

Concordo com a tua análise. O Benfica nunca se encontrou e sentiu sobremaneira a desvantagem que o Porto alcançou em três vezes que causaram perigo.

Só deu Porto. O Benfica não apareceu...

--

Quanto às bolas de golfe, cito o LFV quando disse: "Aquilo não são os verdadeiros adeptos do Porto".

Espero que nunca termine em tragédia tamanha irresponsabilidade.

Fox disse...

Foi basicamente isso.

No entanto para mim esta vitória marca uma mudança importante na nossa liga. Até agora o Porto estava, apenas e só, a fazer um arranque notável. Bem certo que ainda estavam imbatíveis, mas ainda faltava muito campeonato e ninguém (que percebesse sobre o que estava a falar) dizia que o campeonato estava decidido. Hoje, por outro lado, o Porto mostrou que tem claramente atributos para ser campeão.

Ainda falta muito campeonato e ainda vai acontecer, certamente, muita coisa mas as equipas que daqui para a frente defrontarem o Porto vão ter de lutar para não serem intimidadas por este resultado expressivo, ainda que justo.

E os próximos adversários do FCP são... Portimonense, Moreirense e dia 27(!) Sporting... esse será, para além do jogo de amanhã, o verdadeiro teste de fogo a Paulo Sérgio.

mwm disse...

boa análise.

esperamos por uma resposta na LUZ!

Anónimo disse...

Este jogo pareceu-me em tudo igual ao Barcelona Sevilha, ate o resultado final.
Tenho pena do Benfica nao ter conseguido jogar de igual contra o Porto.
Temos de continuar a lutar, ainda nao esta nada perdido, so muito complicado

Cascais

Enviar um comentário

 
Trio Galático. Design by Wpthemedesigner. Converted to Blogger Template by Anshul